Diabética Tipo Ruim

Oie!

Tudo bom gente?!

Hoje o post será da Marina, uma amiga minha que tem Diabetes e uma página no Facbook sobre o assunto!

Página da Marina no Facebook

“Somos pouco mais de 382 milhões no mundo, cerca de 12 milhões só no Brasil e mesmo assim nos sentimos sozinhos, abandonados e muitas vezes nos sentimos jogados de lado pela sociedade.

Somos todos diabéticos. Nossos pâncreas não funcionam como deveriam e por isso, não produzimos mais um hormônio chamado insulina.

Oh My God! E agora? É o fim do mundo?

Não. Sem chilique! Tudo sob controle.

Eu fui diagnosticada com diabetes tipo 1 (ou seja, sou insulino dependente) aos 16 anos. Tive uma crise muito forte de vômitos, tonturas e entrei em coma diabético. Quando eu acordei do coma e soube que tinha uma doença chamada Diabetes eu não fazia ideia do que era, como tratava, se eu ia morrer ou viver, como seriam as coisas a partir dali.

E foi com o tempo, lendo, estudando, participando de encontros e conversando com outras pessoas que fui entendendo que o diabetes não é assim um bicho de sete cabeças.

Hoje, graças a todos os cientistas que desenvolveram novos remédios e novos tipos de tratamentos o controle da doença é muito mais fácil de ser feito.

Eu uso uma bomba de insulina. Isso é um aparelho parecendo um beep, leve e pequeno, que fica plugado em meu corpo por meio de um cateter dentro da pele. Ele recebe uma programação do meu médico que diz a quantidade de insulina que eu devo receber de hora em hora. Ele imita um pâncreas de verdade, soltando pequenas doses de insulina ao longo do dia. Com essa terapia eu posso fazer tudo que eu quiser, praticar esporte, trabalhar, estudar, namorar, viajar, e principalmente, comer! O mito de que diabético não pode comer doce e não pode comer nada é totalmente ultrapassado. Com essas medicações e com o método de contagem de carboidratos vc pode comer o que quiser, com uma única diferença: vc come e deve tomar insulina para queimar aquele alimento.

Ah então é tudo fácil e não há problemas? Não é bem assim….

A parte difícil da doença vem logo no começo, aceitar. Aceitar que vc tem uma doença crônica, que você precisa de tratamento diário, que vc terá q tomar injeções, que vc precisará de cuidados para o resto da vida e que lutará contra preconceitos, olhares maldosos, pessoas sem informação que vão tentar, ao máximo, te por pra baixo.

Tudo isso é complicado mas não é impossível de se viver, e de ter uma vida muito boa.

O q eu sempre falo para alguém que me pergunta o que é ter diabetes é que essa doença pode fazer vc ver as coisas de uma forma positiva, te forçando a se cuidar muito mais, fazendo vc ter uma saúde melhor, ou pode fazer vc desistir de viver, não se cuidar, negar a doença e te matar lenta e silenciosamente.

Eu escolhi ajudar as pessoas que recebem a mesma noticia que eu recebi há 14 anos atrás. Com a minha página “Diabetica Tipo Ruim” eu consigo ajudar diabéticos, mães, pais, namorados, amigos e consigo disseminar mais informação sobre a doença.

IMG_9919

Eu escolhi viver.”

Marina de Barros Collaco

Espero que tenham gostado!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s